Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Caneta Da Poesia

Caneta Da Poesia

05
Out14

Se o mundo parasse (2013)


canetadapoesia

 

Se parasse, ainda que por breves minutos.

Que poderia suceder?

Se parasse e se fizesse silêncio absoluto.

Teríamos ocasião de o olhar,

abismados com a sua beleza.

Extasiados com a sua força,

admirados com a sua resistência.

Se parasse, ainda que por breves minutos.

Poderíamos olhar-nos e, pelo silêncio mútuo,

reconhecermo-nos como seres humanos.

05
Out14

Poisio do sol (2013)


canetadapoesia

 

Ao longe já se sente,

que o sol também descansa.

Poisa nas águas mansas do oceano,

bem ao fundo até onde nossa vista alcança.

O sol já se põe no horizonte,

que se encurta na memória dos dias passados.

02
Out14

Reflexo (2013)


canetadapoesia

 

Reflectia-se no mar,

espalhava-se pela imensa massa de água.

Uma intensa claridade se dispersava pelo ar.

Recortes mais escuros,

nos pontos de contacto com terra.

No céu, a origem, uma enorme lua,

abrindo-se a nós, com toda a intensidade,

e uma esplêndida iluminação da noite humana.

02
Out14

O clarear do dia (2014-10-02)


canetadapoesia

 

Vi o dia clarear o que não seria anormal,

se não fosse o fruto de uma noite em claro.

De um momento para o outro,

o fundo escuro da noite,

apresenta uma claridade espantosa,

brilhante, potenciadora de um novo dia.

Vi o clarear do dia e a esperança a renovar-se.

01
Out14

Sentidos (2013)


canetadapoesia

 

Sinto, logo mexo-me.

Ao acordar a primeira reacção,

abrir os olhos, mexer os dedos dos pés.

Um esticar de braços, uma espreguiçadela,

e o corpo,

essa máquina perfeita, de coordenação e comando,

a responder, a ordenar.

Sinto que ainda é cedo,

sinto o frio a penetrar-me,

sinto que o dia espera por mim.

Sinto,

Vou sentindo, ao longo do dia,

todo o estremecer do sentir.

01
Out14

Julgamento (2013)


canetadapoesia

 

Julgaste-me,

julguei-te,

nem juízes somos,

mas ambos julgámos.

A cada um a sua razão,

a cada um a sua justificação,

e depois deste passo,

nada mais restou para julgar.

01
Out14

Espuma (2011)


canetadapoesia

 

De longe se vinha amontoando,

rolou e embrulhou-se num esgar de prazer,

arrastou areias e cascalho misturando-os.

Num banho de espuma branca,

se espalha pela praia deserta.

Num arrependimento repentino,

enrola-se e de novo se recolhe,

envergonhada,

à profundeza do oceano.

01
Out14

Fim de dia (2014-10-01)


canetadapoesia

 

Quando a tarde se esvazia no silêncio da noite,

e a casa se transforma no castelo inexpugnável,

desce sobre a cidade o manto diáfano

de um repouso expectável.

01
Out14

Calor interno (2014-10-01)


canetadapoesia

 

Barriga para o ar, braços estendidos acima da cabeça,

seguram um instrumento que servirá para a intromissão.

Vejo-me a deslizar sob o arco que me vai vasculhar.

Encher os pulmões de ar, não respirar, atravessar o arco, pode respirar.

Um click dá início à introdução, já estava avisado,

o calor invade-me o corpo, vou sentindo,

vou sentindo que me perpassa de cima a baixo.

Mas que calor, nauseante.

O corpo em brasa, conseguirei suportar ou não é a minha dúvida.

É só um exame não posso ceder, mas sinto os olhos a fecharem-se descontrolados.

Um último esforço e mantenho-os abertos.

Consegui, meio zonzo ainda, cheguei ao final de mais uma invasão.

Pág. 11/11

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Caneta da Escrita

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub