Domingo, 31 de Março de 2019

Democracia corporal

 

Não, eu juro que não era eu que estava a olhar.

Pois bem vê, o meu corpo é composto de vários órgãos.

Em todos eles há uma autonomia estabelecida,

só em último caso reportam ao poder central, o cérebro.

Portanto não era eu que olhava esse lindo rosto, não.

Os olhos sim, esse órgão que só se deleita com a beleza,

nem precisa de autorização do cérebro.

Vai logo piscando para tudo que lhe ilumina a retina,

e lhe enche as pupilas de uma auréola boreal psicadélica.

O cérebro, esse comandante de toda a hoste,

limita-se a segui-los,

dando ordens a outros órgãos para o fazerem também,

quando é caso disso, bem entendido.


publicado por canetadapoesia às 23:34
link do post | comentar | favorito
Sábado, 30 de Março de 2019

Rupestres (2019-04-01)

 

 

Quando olhamos nas rochas

as rupestres pinturas

lembramo-nos que,

sem ferramentas e outros materiais,

eram incipientes demonstrações

da humana arte do futuro.

Assim percebemos a diferença

entre o homem que na caverna

se encontrou com a vida

e o que da caverna quis sair

para se encontrar com o mundo.


publicado por canetadapoesia às 00:11
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 29 de Março de 2019

Ícaro (2019-03-30)

 

 

Se a espera te afecta

e com rapidez pretendes ir mais longe,

não te esqueças de Ícaro

que também quis voar e ao sol chegar,

no entanto os aviões

só apareceram séculos depois…


publicado por canetadapoesia às 00:05
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 28 de Março de 2019

Como o vento (2019-03-28)

 

 

Passas por mim como o vento,

esvoaçante e solta na tua liberdade

que une a graça à sensibilidade.

Dou por mim a sonhar com o momento

porque és mulher e um ser especial

e neste mundo existe algo de belo

isso és tu, ser humano extraordinário

que reproduz e suporta a vida neste nosso mundo.

És mulher e só te podes orgulhar de tal

que eu que sou homem,

também me orgulho que o sejas.


publicado por canetadapoesia às 00:31
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 26 de Março de 2019

Este olhar (2019-03-26)

 

 

Porque assim me sai este olhar

que se fixa em ti e vê mais

que poderia ver um olhar vulgar.

Este meu olhar que em ti se fixa

como um raio “X” que te vasculha

de cima a baixo e finalmente se fixa

na alma que carregas em ti,

sensível e amante do simples e do belo.

É este olhar que me diz cá bem para dentro

que apesar das agruras do mundo,

da frieza e indiferença humana,

vale a pena viver aqui

porque ainda há pessoas à nossa volta!


publicado por canetadapoesia às 23:31
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 25 de Março de 2019

Distância

 

 

Daqui de onde minha vista se expande,

até lá, longe, muito longe,

onde nem ela alcança,

vai um sonho sem limites.

Cavalga ondas, atravessa mares, cruza montanhas,

leva consigo um coração que transcende toda distância.


publicado por canetadapoesia às 23:04
link do post | comentar | favorito
Domingo, 24 de Março de 2019

Sereno

 

 

Sereno é o vento que na sua loucura avassaladora,

nada deixa de pé.

Serenas são as ondas que do alto da sua imponência,

esmagam tudo o que lhes aparece pela frente.

Serenos somos nós que na nossa brandura,

aceitamos todos os vexames e violências.


publicado por canetadapoesia às 23:10
link do post | comentar | favorito
Sábado, 23 de Março de 2019

O sol da minha vida (2019-03-20)

 

 

Três estrelas que brilham por si e para mim

que as tenho como o sol da minha vida

de quem me separo sempre com um nozinho no coração

e uma saudade antecipada do carinho que por elas nutro.

São o meu sol do início de dia,

o meu sol do meio dia,

o meu sol do fim de dia,

o meu sol da meia noite!

São o sol da minha vida e

nada mais brilha com tanta intensidade

que forneça a energia necessária ao motor que me move,

este coração que palpita por elas,

sempre que longe estão e se afastam,

e dispara em batidas intensas logo que as vislumbra.


publicado por canetadapoesia às 23:33
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 22 de Março de 2019

Se eu fosse o sol (2019-03-22)

 

 

Se eu tivesse esse poder de aquecer o que me rodeia

e conseguisse chegar tão perto de tudo o que

no frio da vida pedisse um calor,

mesmo que só um pouco,

que feliz seria puder espalhar os meus raios e dispersá-los.

Se eu fosse o sol e aquecesse o que me rodeia,

que bem me sentiria ao pousar sobre teu corpo

envolve-lo em meus raios sentindo-lhe a vibração.

Ah! Se eu fosse o sol…

Que bem me sentiria ao abraçar-te e sentir esse teu corpo

que com os meus calores se abrisse à lassidão de um carinho

quente e prolongado, lento e devastador da força deste calor.

Se eu fosse o sol não deixaria que o frio deste mundo

alguma vez te pudesse incomodar e esse teu corpo

que o meu calor derreteria de amor e paixão.

Ah! Se eu fosse o sol…  


publicado por canetadapoesia às 23:04
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 21 de Março de 2019

Porque de poesia se trata (2019-03-21)

 

 

A cada um a sua voz e entoação própria

em cada cabeça uma escrita igual e diferente

porque a poesia é livre e se solta das amarras

que a possam aprisionar e diz-se com veemência

e paixão, chegando até a ser violenta na afirmação.

Escreve-se no calor dos amores ou na intensidade das dores

dos corpos ou das almas atormentadas.

A poesia sente-se bem dentro do espírito sonhador

e mesmo sendo difícil projectá-la por escrito ou voz

não deixa de exprimir sensações, emoções e sentimentos tais,

que mesmo que não se vejam a olho vivo,

descortinam-se na aura do poeta ausente do mundo,

que a sente e descreve em linhas cuja horizontalidade

vai variando e entortando as páginas no esforço

que impõe à sua descrição e do coração as verte sentidamente.

A poesia sente-se viva e vadia, livre e liberta,

tem dia próprio de comemoração e milhões de corações

onde medra sem barreiras ou fronteiras que a tolham.


publicado por canetadapoesia às 21:30
link do post | comentar | favorito

Mais sobre mim


Ver perfil

Seguir perfil

. 14 seguidores

Pesquisar

 

Maio 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts recentes

A palavra (2010)

Chorou o céu (2015-01-16)

O silêncio da noite (2010...

Pois é… (2013)

Tu minha mãe

Quatro paredes e uma nesg...

Em cheio (2015-01-24)

Silêncio de ouro (2010)

No silêncio da noite (201...

Esplanada (2012)

Arquivos

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Links

SAPO Blogs

subscrever feeds