Terça-feira, 31 de Março de 2020

Folhas secas (2012)

 

 

O que se sente quando uma folha cai?

Nada de especial dirão, secou e caiu.

Uma folha cai porque seca,

porque já não se suporta junto à árvore que a viu nascer.

Pois imaginemos a coisa,

Será que a folha cai por cansaço?

Pois sim, cansaço!

É que isto de passar uma vida pendurado cansa mesmo.

E quando nos cansamos, como as folhas,

definhamos, secamos e,

finalmente, desprendemo-nos da vida,

como as folhas se desprendem,

dos frondosos ramos das árvores.


publicado por canetadapoesia às 23:09
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 30 de Março de 2020

Brisa (2012)

 

 

De longe soprava uma brisa calma,

fresca e acolhedora que cobria o calor do dia,

por entre os sopros sentia o perfume atordoador

com que me envolvias no abraço do desejo.

Sentia-te ao longe, sentia-te longe,

mas o sentir do amor,

desperto pelo perfume de teu corpo

inalava-o pelo sopro da brisa da tarde.


publicado por canetadapoesia às 22:52
link do post | comentar | favorito
Domingo, 29 de Março de 2020

Iniciativa (2012)

 

 

Sempre foi tua a iniciativa,

que eu tímido e amedrontado,

nunca fui capaz de a ter.

E assim foi que,

também a tomaste quando,

quase sem me aperceber,

também me tomaste para ti.


publicado por canetadapoesia às 23:30
link do post | comentar | favorito

O sino (2012)

 

 

No ponto mais elevado da aldeia,

a construção mais alta das que a rodeiam,

a torre da igreja,

e no cimo o sino,

que toca, repica e marca as horas.

Chama os crentes, avisa-os, informa-os.

Toca e retoca, repica de dia,

silencia-se à noite,

para retomar os seus sons

mal a noite abre os olhos

e a madrugada anuncia o novo dia.

Toca e repica,

o sino da aldeia,

que pelos seus sons,

se transforma no jornal informativo.

Toca e repica.


publicado por canetadapoesia às 00:42
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 27 de Março de 2020

Ao longe (2012)

 

 

Se te vejo ao longe e não te fujo,

se me aproximo e te sorrio,

se me sorris também,

é certo e seguro que

um abraço se seguirá,

apertadinho, delicioso e sentido,

quem sabe onde nos levará?


publicado por canetadapoesia às 23:02
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 26 de Março de 2020

Bate o vento (2012)

 

 

De frente, impiedoso,

bate-me o vento e fecha-me os olhos.

Não quero, não os posso ter fechados,

que estes olhos vêm o que não querem,

mas vêm o que devem ver.

Quero-os abertos,

esbugalhados mesmo, se for o caso,

mesmo que o vento me bata de frente impiedoso,

porque estes olhos,

são o testemunho do que vejo e não quero ver,

mas são também o testemunho do que devem ver.

Para memória futura,

para memória presente,

para memória do que já é passado,

mas sempre como testemunho presente,

da indignidade humana que,

nos abate, amesquinha, diminui e volatiliza,

na vida que nos tiram.

Testemunhas vivas que não se podem fechar,

a vento nenhum que o queira.


publicado por canetadapoesia às 22:43
link do post | comentar | favorito (1)
Quarta-feira, 25 de Março de 2020

Olhar furibundo (2012)

 

 

Olhas-me com a aspereza que só o teu olhar furibundo,

consegue em mim depositar temor.

E porquê? Porquê, pergunto-te.

E a resposta célere como um cometa,

arremetendo em minha direcção,

atinge-me e acocora-me de tristeza.

Não gosto de piropos!

E porque não se nem sequer te disse nada ofensivo?

Limitei-me a ser eu,

aquele que tem dentro de si a beleza e a poesia e que,

por vezes não consegue contê-la.

Transbordo do meu silencioso interior,

e desdobro-me em prazeres de olhares sorridentes,

no fundo, das minhas palavras nem se intui um piropo,

foi tão somente uma constatação.

E o que afirmei e constato de novo,

é que a beleza assenta em ti como a primavera nas andorinhas,

és bonita, limitei-me a confirmá-lo.


publicado por canetadapoesia às 22:54
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 24 de Março de 2020

Outros caminhos (2012)

 

 

Não penses que te engano,

seria a última coisa que faria,

garanto que quando me entrego,

é por inteiro,

sem desvios ou outros devaneios.

E será bom,

excelente mesmo,

enquanto perdurar e depois,

bem, depois, outros caminhos se trilharão.


publicado por canetadapoesia às 22:58
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 23 de Março de 2020

Olhares (2012)

 

 

Serenos no olhar da vida,

aos cantos a marca

dos anos que se foram,

das agruras suportadas,

de alguma felicidade passada,

e as estrias que os ornamentavam,

eram símbolos de uma riqueza vivida,

de olhares múltiplos sobre a vida e o mundo,

o testemunho de uma mulher

sábia na sua singeleza

que nos deixava enamorados.


publicado por canetadapoesia às 22:45
link do post | comentar | favorito
Domingo, 22 de Março de 2020

A caminhada da vida (2012)

 

 

As crianças cresceram,

fizeram-se homens.

Os homens envelheceram,

mataram a criança que neles residia.

E a esperança que nas primeiras vivia

foi morrendo na caminhada da vida.


publicado por canetadapoesia às 22:31
link do post | comentar | favorito

Mais sobre mim


Ver perfil

Seguir perfil

. 19 seguidores

Pesquisar

 

Junho 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts recentes

No mar

Caminho

Pedaço de mau caminho

Sentir a poesia (2012)

Sorrisos (2013)

Vestido negro

Em cada gota (2012)

Fome (2012)

Os heróis

Paralelos (2012)

Arquivos

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Links

SAPO Blogs

subscrever feeds