Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Caneta Da Poesia

Caneta Da Poesia

15
Abr21

Cheiro a rua (2013)


canetadapoesia

 

 

Não era como as outras,

modernas arejadas e largas,

cheias de luz e candeeiros altos,

não, esta rua era uma rua com cheiro a rua.

Claro que o trânsito fluía nos dois sentidos,

mas o piso era empedrado com cubos de granito,

ao longo dela corriam carris,

do que tinha sido uma inovação, os carros eléctricos,

existiram muito antes da febre dos automóveis que os imitariam,

nesses carris ainda circulavam os velhinhos eléctricos,

a par de outros de construção recente, mais equipados,

com vidros fumados e ar condicionado.

Circulavam nos mesmos carris sem se incomodarem com o feito,

lamentando que a cegueira do homem tivesse relegado

para um plano de desperdício tantos dos seus irmãos,

aquilo que era uma mais-valia de tempos remotos,

jazia agora na sucata e clamava-se mobilidade eléctrica.

Mas a rua tinha mais, prédios vetustos, recuperados e bem tratados,

e na mercearia que ainda lá estava, o sr. Manuel,

amiúde conversava com o sr. Joaquim, o do talho,

até na drogaria se discutiam os assuntos que aconteciam na padaria,

mas ao fim do dia acontecia o melhor,

reuniam-se à volta de uma mesa no café da rua,

antes de se recolherem ao descanso de suas casas

para pôr em ordem os assuntos do dia.

Não, aquela não era uma rua como as outras,

era uma rua especial e que vinha de longe,

sobretudo era uma rua com cheiro a rua,

as pessoas que nela viviam e sentiam o seu cheiro,

sabiam que eram pessoas consideradas,

seres humanos com defeitos e virtudes,

mas não eram números com toda a certeza.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Caneta da Escrita

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub